corregedoria.tjrn.jus.br
corregedoria.tjrn.jus.br
corregedoria.tjrn.jus.br

Corregedor 79Encoge

 

Juízes mais próximos do cidadão, cada vez mais prudentes, humanos e sábios é como o corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, antevê a atuação dos magistrados em um cenário cada vez mais consolidado no cotidiano dos profissionais da magistratura brasileira. De acordo com a fala dele, o Judiciário só se tornará cada vez mais forte com o cidadão respeitado. O ministro expôs suas ideais durante conferência que encerrou a cerimônia de abertura do 79º Encoge, na noite desta quinta-feira (18), em Natal.

Humberto Martins lembrou aos presentes que as associações dos magistrados e a Ordem dos Advogados do Brasil têm realizado pesquisas que apontam que a Justiça precisa dar respostas objetivas e diretas aos anseios da sociedade brasileira. O Judiciário, segundo o corregedor nacional, precisa atuar com planejamento em favor da prestação de serviço ao cidadão, que busca a solução de seus conflitos.

O ministro acredita que o juiz é o mediador desse encontro entre a Justiça e a população. E os olhos da sociedade estão mais voltados para a atuação dos magistrados, conscientes de seu papel para a garantia do Estado Democrático de Direito. E para este fim, devem contar com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ), órgão de orientação, de controle e responsável pela transparência deste poder.

Em sua conferência, Humberto Martins fez questão de mencionar os valores intelectuais do Rio Grande do Norte, mencionou Câmara Cascudo e Zila Mamede e disse que o Brasil precisa de “Fé, Amor, Igualdade e Distribuição da Boa Justiça”, assinalou o ministro.

Fonte: Site TJRN

Scroll to top